Chã Preta é um dos 102 municípios presentes no estado brasileiro de Alagoas. Inserido na Mesorregião do Leste Alagoano e na microregião serrana dos Quilombos, o município possui a segunda maior serra do estado, com 846 metros de altitude, a Serra do Cavaleiro, considerada mística por ter sido refúgio de tribos indígenas em tempos remotos.
 
Localização de Chã Preta em Alagoas.
 
Bandeira do município de Chã Preta.
 
Etimologia
Próximo à cidadela dos Palmares, a famosa “Tróia Negra” de Zumbi, Ganga Zumba e Aqualtune, o sítio onde está situada a cidade é uma chapada que foi originalmente habitada por famílias remanescentes do famoso quilombo e de escravos dos engenhos da região.
 
Demografia
A área municipal ocupa 172,849 quilômetros quadrados e sua população é de 7.146 habitantes, dos quais 3.644 do sexo masculino e 3.502 do sexo feminino. São 4.488 os habitantes da zona urbana e 2.658 os da zona rural. A densidade demográfica é de 41,34 hab/km² (IBGE-2010).
 
História
A colonização de Chã Preta teve início por volta de 1865, onde hoje está o prédio da prefeitura. Lá ficava a sede da fazenda Chã Preta, da família Inácio, que eram da raça negra, motivo pelo qual a cidade ganhou sua denominação.

O movimento da localidade, que continuou com o nome de Chã Preta e pertencia à Viçosa cresceu rapidamente e, em 1909, foi criada a feira. A primeira capela foi construída na mesma época, na antiga propriedade, doada por Terezinha de Jesus Brandão à Nossa Senhora da Conceição.

Próximo a Chã Preta existia uma localidade de nome Tobias, onde se realizava a feira. Boa parte dos habitantes queria que o centro do povoado fosse para lá transferido. Logo, porém, o local entrou em decadência e Chã Preta continuou seu desenvolvimento. No período de 1938 a 1947, a cidade ficou abandonada pelos administradores de Viçosa e o movimento em defesa da emancipação começou a se formar. A disputa causou um fato inédito na administração pública alagoana: a subordinação de Chã Preta a Correntes, município pernambucano, para onde o movimento local foi desviado.

Com a Constituição de 1946, Chã Preta passou a ter representação na Câmara de Vereadores de Viçosa. Liderado por José Firmino Teixeira de Vasconcelos, Isidoro Teixeira, Armando Soares e o ex-governador Luiz Cavalcante, o movimento pela emancipação chegou ao auge. Em 1962, o povoado foi emancipado.

A valorização da cultura popular de Alagoas é um dos principais atrativos de Chã Preta, que também tem no clima serrano seu ponto forte. Entre as festividades destacam-se a Semana Cultural (março) e a Festa da Emancipação (11/03).
 
Geografia
 
Localização
O município de Chã Preta está localizado na região norte do estado de Alagoas, limitando-se a norte com o município de Santana do Mundaú e o estado de Pernambuco, a sul e leste com Viçosa e a oeste com Quebrangulo e o estado de Pernambuco. O acesso a partir de Maceió é feito através da rodovia pavimentada BR-104, AL-210 e AL-110, com percurso total em torno de 98 km.
 
Clima
O clima é do tipo Tropical Chuvoso com verão seco. O período chuvoso começa no outono/inverno tendo início em dezembro/janeiro e término em setembro. A precipitação média anual é de 1309,9 mm.
 
Vegetação
A vegetação é predominantemente do tipo Floresta Subperenifólia, com partes de Floresta Hipoxerófila.
 
Relevo
O relevo de Chã Preta faz parte predominantemente (cerca de 60%), da unidade das Superfícies Retrabalhadas que é formada por áreas que têm sofrido retrabalhamento intenso, com relevo bastante dissecado e vales profundos. O restante da área do município, se insere na unidade geoambiental do Planalto da Borborema (cerca de 40%), caracterizada por ser formada por maciços e outeiros altos, com relevo geralmente movimentado, apresentando vales profundos e estreitos.
 
Hidrografia
O município de Chã Preta encontra-se inserido na bacia hidrográfica do Rio Paraíba, sendo banhado pela sub-bacia do Rio Paraibinha, cujos afluentes mais importantes são: a leste, os riachos Riachão, Facãozinho, Grota do Bonito, Camboge, Samburá e Seco; a nordeste, o Riacho Jundiá, Espalhado, Riacho do Ouro, Carangueja e Jacaré; a sudeste, os riachos Humaitá, Caçambinha, Riacho dos Gatos, Erva de Rato, Mendonça e Monte Verde; a norte, o Rio Mundauzinho e o Riacho Bom Destino. O padrão de drenagem é do tipo dendrítico e corre predominantemente no sentido noroeste-sudeste, desaguando no Oceano Atlântico.
 
Política Municipal
Prefeito: Audálio Holanda
Partido: Partido da Social Democracia Brasileira(PSDB)
Gestão: 2013-2017
 
Indicadores sócio-econômicos
PIB - Produto Interno Bruto (IBGE-2008).
PIB Municipal = R$ 26.181,00
Agropecuária = R$ 6.830
Indústria = R$ 2.240
Serviços = R$ 16.687
Impostos = R$ 425,00
Per capita = R$ 6.675,80
 
Saúde
Chã Preta conta com 05 estabelecimentos ligados à rede municipal de saúde.
 
Educação
O município de Chã Preta está inserido na área de abrangência da 4ª Coordenadoria Regional de Educação, cuja sede está localizada no município de Viçosa.
De acordo com dados do Censo Escolar 2011, Chã Preta possui 25 escolas, das quais 22 pertencem à rede municipal e 03 à rede estadual de ensino. Do total, 8 estão localizadas na zona urbana e 17 na zona rural (DataEscolaBrasil).
 
Economia
Produção Agrícola
De acordo com o IBGE, a atividade agrícola do município de Chã Preta consiste no cultivo de: Banana, batata-doce, cana-de-açúcar, fava, feijão, laranja, mandioca, milho.
 
Produção Pecuária
De acordo com o IBGE, a atividade pecuária do município de Chã Preta é contabilizada de acordo com a quantidade de: Mel de abelha, muares, ovinos, ovos de galinha, suínos, vacas ordenhadas.
 
Comunicações
Os meios de comunicação propriamente da cidade são os de rádio e jornal; dentre eles:
Emissoras de rádio FM.
104,9 MHz - Rádio Comunitária Chã Preta FM, conhecida popularmente por "A Princesinha dos Montes", localizada à Rua Padre Dimas.
87,9 MHz - Rádio Comunitária Novo Horizonte, localizada à Rua Manoel Roberto Brandão.
Jornais:
Circula de forma avulsa o Jornal Voz da Serra.
 
Transportes
De acordo com dados do IBGE, a frota municipal de veículos em 2009 era formada em sua grande parte por motocicletas (258), seguido por automóveis (138), caminhonetes (38), caminhões (18), micro-ônibus (6), ônibus (4) e motonetas (2) (IBGE).
 
Cultura
Conhecida nacionalmente como "Terra da Cultura Popular", graças a persistência e dedicação de vida e trabalho do professor Pedro Teixeira de Vasconcelos. Onde até hoje se mantém vivas danças folclóricas típicas da região e o artesanato, com fábrica de chapéus de folguedos populares e outros apetrechos folclóricos.


Chã Preta, é terra de poetas, escritores e folcloristas. A exemplo de Pedro Teixeira de Vasconcelos, grande folclorista do estado de Alagoas, Professor Severino Florêncio Teixeira, teatrólogo e odontólogo.

 
Folclore
Um dos polos mais dinâmicos do folclore alagoano, Chã Preta tem uma forte tradição de cultuar os folguedos populares, verdadeira paixão de seu povo. Não são raros os convites para que se apresentem na capital, em cidades do interior e até em outros estados.  No Festival Nacional de Cultura Popular, promovido anualmente em Olímpia, São Paulo, Chã Preta é presença obrigatória. O professor Pedro Teixeira foi um dos maiores incentivadores da cultura popular no município de Chã Preta. Dentre as principais manifestações folclóricas da cidade estão o Reisado, Pastoril, Maracatu, Coco Alagoano, Rojão, Guerreiro, Pagode, a Vaquejada, Cavalhada e a Taieira - antigo folguedo dançado por mulatos, cujas personagens são o rei, a rainha, Mateus, Catarina, e a crioula. Os africanos se dispõem em dois cordões, encarnado e azul, vestem saia rodada com xale nos ombros e enfeites, acompanhados pelos instrumentos (bumbo, tambor em caixa, maracá, reco-reco e pandeiro).
 
Religião
No âmbito religioso encontra-se a presença da igreja Católica Apostólica Romana e das denominações evangélicas: Assembleia de Deus (Ministério Missão e Madureira), Congregação Cristã do Brasil, Maranata, Universal do Reino de Deus, Adventista do 7º dia, Evangelho Quadrangular e Batista.

 Fonte: WikiAlagoas